Sótão, presença, janela, remédio noturno. Curioso como ao pensar e encontrar (nos meus acervos) este trabalho me dei conta de como ele conversa diretamente com a minha última pintura, linguagem que normalmente utilizo como resultado final. Além do noturno e o olhar pela janela, comecei a olhar para o próprio atelier onde trabalho, que por acaso fica no sótão da casa. Aquilo que vejo, como vejo e o que deixamos de enxergar ou que não podemos ver. Vivemos num mundo tão creio de imagens que considero tão natural nos perguntarmos sobre isto que nos envolve diariamente. Minha curiosidade é sobre essa transformação e esta falha da visão, estas presenças anunciadas que nos escapam, mas que sentimos de alguma forma. Neste trabalho o ponto de vista é um ponto no escuro, o ponto de vista de um vulto. Curioso como o próprio mito da criação da pintura é uma história de sombras e a permanência da imagem da sombra projetada numa superfície pode ser a descrição da própria fotografia. Sótão e o interior da casa me parece algo sobre esta própria necessidade de introspecção imposta neste momento singular que vivemos, mas não tenho certeza, tudo é muito novo, mas a incerteza é um elemento importante nos meus trabalhos, então abraçamos estas falhas.

Marcelo Bordignon - Sótão

R$ 150,00Preço

apoio:

realização:

© POA150FOTOS - PORTO ALEGRE - RS // buenas@poa150fotos.com.br - Tel: (51) 98055-7921

  • Branca Ícone Instagram